Filtros de pólenes da Opel previnem alergias

Filtros de pólenes da Opel previnem alergias

  • Viagens mais confortáveis – filtros de carbono ativado são de série em todos os Opel;
  • Filtros de pólenes criados à luz dos parâmetros mais exigentes;
  • Concentração polínica agrava-se na primavera e verão; oliveira, feno e erva parietária estão entre os mais agressivos;

 

A temperatura atmosférica aumenta e começa a polinização. Nesta época do ano há um número considerável de pessoas que sofre com reações alérgicas. Mas aqueles que viajam a bordo dos Opel estão protegidos. Desde o ano 2000, todos os automóveis do fabricante alemão estão equipados de série com filtros de partículas ou de carbono ativado. E desde 2018, apenas estes são utilizados. Os filtros de carbono ativado da Opel são compostos por duas camadas, o que permite não só impedir a entrada de partículas no habitáculo mas também reter odores e gases como o ozono. Os pólenes são eliminados praticamente na totalidade.

«A qualidade dos nossos filtros de carbono ativado ultrapassa o que é prática corrente no mercado em numerosas áreas. Em algumas chega a nivelar com filtros de partículas finas», explica a Gestora de Produto, Sandra Schmickler. O material do filtro é totalmente impermeável e repelente de água, propriedades que impedem o congelamento no inverno bem como a acumulação de bactérias. Apesar da elevada capacidade de filtração, está garantida boa permeabilidade ao ar. O filtro deve ser mudado todos os anos.

Instalação em modelos mais antigos

Em muitos casos, modelos Opel mais antigos, como o Calibra ou o Vectra C, podem ser equipados com filtros de carbono ativado da mais recente tecnologia. A instalação deve ser efetuada por um especialista. «No ADAM ou no Corsa D, por exemplo, a caixa do filtro está localizada atrás do porta-luvas; noutros modelos está no compartimento do motor, atrás da grelha do radiador; portanto, não tem acesso fácil», adverte Sandra Schmickler.

Conselhos úteis para a época dos pólenes

«De uma forma geral, em épocas de grande concentração polínica deve-se circular de automóvel com as janelas fechadas», recomenda a Chief Medical Officer da Opel, Dra. Anne-Marie Albuszies. Isso contribuirá para a segurança rodoviária, uma vez que os espirros interferem claramente na condução. No tráfego citadino, por exemplo, um automóvel percorre 20 metros no tempo que dura um espirro. E à velocidade de 100 km/h, o condutor não terá os olhos na estrada enquanto percorre 50 metros.

«Em deslocações mais longas os condutores devem evitar medicação, já que os anti-histamínicos provocam sonolência», alerta a Dra. Albuszies. «Atividades desportivas ao ar livre nos meses mais quentes não são aconselhadas a quem sofre de alergias a pólenes. As roupas devem ser despidas na casa de banho e não no quarto. E o cabelo deve ser lavado no final do dia para garantir que os pólenes não se alojam na almofada. O nariz pode ser acalmado com uma aspersão de solução salina, de manhã e à noite, e a comichão nos olhos reduz-se ao contacto de um lenço húmido», completa a Chief Medical Officer da Opel.

Nos centro urbanos, quando não há muito vento, o pólen deposita-se durante a noite. Assim, recomenda-se arejar as casas de manhã cedo. Ao contrário, no campo a concentração de pólenes é superior de manhã, pelo que o arejamento deve ser feito à noite.

A Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica divulga regularmente um boletim polínico que contribui para alertar as pessoas mais sensíveis aos pólenes.

 

Os comentários para esta postagem estão desativados.